Missoshiro

Para comemorar a chegada do inverno.

Ando com esse hábito de tomar sopa quase todas as noites. Com essa coisa de ter que “jantar” as 17:30 antes da aula (das 19:00), uma sopinha cai bem melhor do que fazer um sanduíche todos os dias. Mesmo se o seu sanduíche seja todo bacana e saudável.

Missoshiro, como todo mundo sabe é uma sopa (shiro) de missô japonesa. Meu pai faz missoshiro em casa desde que eu era bem criança. Minha mãe comprava frangos inteiros no supermercado e guardava a carcaça para ele fazer um caldo de frango que virava, invariavelmente, missoshiro. Mas eu mesmo não fazia muito aqui em casa, porque não sabia dar muitos usos para o missô (que só vende num pote meio grande, tipo de margarina) e ele acabava estragando. O que é um grande erro, na verdade, porque eu acabei descobrindo que dá para fazer muitas coisas legais com missô, inclusive temperar salada.

Mas você não precisa ter uma carcaça de frango para fazer seu missoshiro, que é, na verdade, muito fácil. Eu não tinha quando fiz esse aí. Eu tinha tofu, kombu e hondashi mas suponho que dá para se virar sem essas coisas. Na verdade, o missoshiro é uma base e eu acho que dá para criar muitas variações em cima dela (desde que você tenha missô, evidentemente).

Ingredientes:
(para 1 pessoa que vai comer só isso; se for como entrada aí, pode fazer metade disso)

– 2 a 3 xícaras de água (use mais ou menos dependendo da quantidade de acessórios que você vai por dentro).
– 1/4 de sachê de hondashi (caldo de peixe; pode ser substituído por caldo de frango).
– 1 punhado (1/4 de bandeja) de cogumelo shimeji (opcional; pode por moyashi (broto de feijão) no lugar, por exemplo).
– 100 a 150g de tofu cortado em 1 cm³ (é a proteína; se você não tiver, coloque, sei lá, um ovo, ou um pedaço de frango).
– 4 cm² de alga kombu (é uma alga desidratada; você pode substituir por espinafre, por exemplo, ou ora-pro-nobis).
– 1 punhado generoso de cebolinha picada (difícil substituir isso, hein? que tal alho-poró, cebola ou alho?)
– 1 colher de sopa de missô (se você não tiver missô, substitua a receita).

É tudo muito rápido, então deixe as coisas meio à mão.

1. Coloque a água para ferver numa panela com o hondashi e os cogumelos e vá adicionando o tofu conforme você corta (tudo no início mesmo, não precisa esperar ferver).

2. Corte a alga kombu com uma tesoura em tiras bem finas (uns 3 mm) e reidrate num copo com um pouco de água fria mesmo.

3. Depois que ferver a água, coloque a cebolinha e as algas. Deixe cozinhar por 1 ou 2 minutos e desligue o fogo.

4. Agora misture o missô (não precisa ter pressa). O missô não pode ser fervido porque, dizem, se for, ele perde vários de seus nutrientes.

Diz aí: é ridículo de fácil, vai. Ontem, por exemplo, eu já fiz uma variação. Coloquei abóbora brasileira (é tipo uma abobrinha paulista daquela cabeçuda que parece a Peppa Pig, só que é maior e mais firme), acelga cortada em tiras e udon.

Dava até para fazer um concurso de variações de missoshiro. Você tem a sua?

ReceitasSopas

GuGomes • 21/06/2015


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta