Bacalhau com batata doce e limão siciliano

Pois é. Tinha um restaurante português bem tradicional aqui em BH que se chamava Verde Gaio. Tudo lá era muito gostoso, desde o antepasto – uma beringela em conserva, quase transparente, acompanhada de azeitonas, pão e manteiga – até o fabuloso arroz de polvo. Mas o bacalhau, é claro, era especial. Num belo dia de sábado, desses de céu azul sem nenhuma nuvem, como suele hacer por acá, saímos, eu e Priscila, ambos pimpões, querendo experimentar mais uma das variações de bacalhau da carta do Verde Gaio, quando, para nossa surpresa e decepção total, ele estava fechado. Para sempre.

Dizem que vão fazer um prédio bobo qualquer de moradia com uns 20 andares lá em cima daquela casa maravilhosa. Quem sabe eles preservam a casa e a transformam em portaria e depósito de material de limpeza, como eles têm o costume de fazer aqui. Tem gente que acha lindo.

Tudo isso para dizer que a gente teve que comer um bacalhau no fim-de-semana seguinte, em memória do Verde Gaio. A receita não é deles, mas acho que a melancolia ativou a criatividade e nós inventamos a nossa própria receita de bacalhau definitiva. Vou escrevê-la a seguir, mas sem me preocupar muito com quantidades. Com bacalhau o negócio é você calcular os acompanhamentos mais ou menos de acordo com a quantidade de pessoas.

Ingredientes

Bacalhau em postas dessalgado. Postas altas são mais interessantes, mas levam mais tempo para dessalgar. Você pode comprar aquele dessalgado, mas é mais caro e eu não vejo vantagem nenhuma. Pode usar lascas? Acho que sim. Dado importante é que o bacalhau ganha cerca de 30% de peso depois de dessalgado (pela absorção de água). Vem daí que, se você comprar 1 kg de bacalhau, vai acabar com 1,3 kg, o que é bacalhau para c… Então, tome cuidado.
Batata-doce. Sim! Batata-doce no lugar da batata inglesa. Como eu não pensei nisso antes? É maravilhoso. Mas você pode misturar as duas também que fica ótimo. Na versão da foto tinha as duas.
Cebola, muita cebola, cortada em julianas ou em rodelas, ao gosto do freguês.
Grão-de-bico. Adoro grão-de-bico e acho que fica perfeito com bacalhau. Cozinhe antes o grão-de-bico com água numa panela. Se estiver com pressa pode por na pressão.
Alho, muitos dentes de alho inteiros e descascados.
Limão siciliano é o ingrediente secreto. Corte rodelas muito finas de limão siciliano (com casca!) com uma faca bem afiada (para não desmanchar as rodelas). A quantidade pode ser o suficiente para fazer uma camada de limão na sua travessa. Esse limão é para ser comido com casca e tudo. Vai por mim: é de chorar de emoção! Eu acho que outros tipos de limão podem ficar interessantes também: galego, rosa, china e o próprio tahiti. Vale a pena experimentar.
Alcaparras.
Azeitonas pretas.
Pimentas: preta, rosa, o que você tiver. Muito importante.
Noz-moscada.
Canela.
Orégano.
Azeite. Não precisa exagerar no azeite. Esse bacalhau vai formar um caldo bem gostoso que vai se misturar com o seu arroz e fazê-lo muito feliz. Portanto, não é um daqueles que cozinham no azeite.

O preparo é trivial. Coloque um pouco de azeite para mais-que-untar a travessa. Depois faça uma cama de cebola, arranje as postas e coloque os demais ingredientes do jeito que você quiser. Polvilhe os temperos e coloque mais um gole generoso de azeite por cima de tudo. Vai levar tipo 1 hora de forno. Comece com ele coberto (com papel alumínio ou com uma tampa se você tiver uma travessa com tampa) e quando o cheiro estiver te deixando maluco, destampe e deixe mais um pouco no forno para tostar o que estiver por cima.

Coma com arroz branco e beba vinho. Ou então, para quem estiver dirigindo, a sugestão é limonada suíça de limão siciliano (com gengibre, opcional) adoçada com mel. A Pri agora tá colocando chia na limonada também. Não muda o gosto, mas fica divertido beber aqueles mini-sagus.

Seja feliz e durma à tarde.

PeixesReceitas

GuGomes • 14/06/2014


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta