Sorvete de capim-limão com goiabada cascão do Paulo Faria

Hoje temos Paulo Faria inaugurando sua participação solo no Gororoba. Vocês devem se lembrar dele no post ilustrado do Ceviche (que bateu recorde de acessos e nos deu trabalho para ultrapassar a marca) e depois na Lasanha pós-natal (quando ele e o Gustavo foram pra cozinha enquanto a Priscila e a Clarissa saíram para passear com o famoso oTo).

Além de ótimo cozinheiro, ele tem se saído excelente sorveteiro. Esperamos que você apareça aqui com mais frequência!

Todo mundo que me conhece minimamente sabe que sou fanático por sorvete. Quando morava em Brasília haviam sorveterias maravilhosas (Sorbê e Saborela) e sempre que eu estava triste, tomava um sorvetinho pra alegrar o dia, quando feliz, tomava sorvete pra comemorar. Contudo, desde 2008 quando me mudei de Brasília, tenho feito isso muito pouco, tendo em vista a falta de uma boa sorveteria na cidade onde moro. Mas recentemente, lendo um livro da Nigella com receitas de verão, me deparei com uma seção só de sorvetes. Daí pensei que poderia ser uma boa hora de fazer meu próprio sorvete. Mandei bala em uma receita-base de sorvete de creme e foi um semi fiasco. Até rolou um cremezinho gelado que semi-convenceu, mas a trabalheira de tirar a mistura de tempos em tempos do congelador pra bater e no final o sorvete  ainda ficar com os cristaizinhos de gelo tirou meu ânimo.

Então comentei com  a Priscila sobre minha experiência frustrada e ela me passou um site com dicas e receitas bem legais, mas que ao final de cada uma delas, depois que eu já estava com água na boca, tinha o maldito “agora coloque tudo na sorveteira e blá blá blá”.  Desisti. Até que no ano passado eu e a Clarissa fomos pra BH passar o natal com a Priscila e o Gustavo e adivinhem o que eles deram pra gente…? Uma máquina de fazer sorvete. PQP, que presentão! Desde então venho me divertindo absurdamente fazendo os mais diversos sorvetinhos.

Até agora, “minha” receita favorita (idéia da Clarissa), foi a de Sorvete de capim-limão com goiabada cascão. Sempre que eu fizer algum sorvete que considere digno deste blog, farei a publicação. E prometo, com uma história MUITO menor.

– 500ml leite integral
– 250g de goiabada cascão
– 01 maço generoso de capim-limão (umas 10 folhas no mínimo)
– ½ xícara de açúcar
– 6 gemas
– 1 lata de creme de leite sem soro
– 1 colherzinha das de café de essência de baunilha

  1. Aqueça o leite e o capim-limão em uma panela até ferver por algum tempo até apurar o sabor e o leite ficar verdinho (eu corto e macero o capim-limão pra soltar bem o sabor);
  2. Coe e devolva para a panela;
  3. Corte a goiabada cascão em cubos pequenos e misture ao leite quente na panela até dissolver (mantenha o fogo baixo);
  4. Apague o fogo e espere a mistura esfriar até alcançar a temperatura ambiente, caso você tenha pressa como eu, coloque a panela em uma bacia com água fria;
  5. Bata em uma batedeira a baunilha, o ovo e o açúcar até atingir uma cor amarelo-clara;
  6. Derrame a mistura de ovos na panela com o leite aromatizado em fogo baixo mexendo sem parar até engrossar (leva aproximadamente 5min);
  7. Mais uma vez, espere a mistura esfriar até alcançar a temperatura ambiente, caso você tenha MUITA pressa como eu, coloque a panela em uma bacia com água fria e mexa rápido;
  8. Agora bata tudo com creme de leite e coloque na sorveteira;
  9. Depois que a sorveteira fizer o trabalho duro pra você, bote em um recipiente e deixe no congelador por 2h;
  10.  Antes de servir, deixe fora da geladeira por uns 15 minutos pra ficar bem cremoso;
  11.  Por fim, coma e chore de emoção.
ReceitasSobremesasSorvetes

PriBorges • 07/07/2012


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta