5

Cotechino assado

Pois é. Eu comprei um tal de cotechino precotto outro dia no Verde Mar (supermercado afrescalhado tradicional aqui de BH). Tava junto com os salames, tinha cara de salame e ainda tava escrito salumi na embalagem. Só podia ser salame. Em certo sentido até é um certo salame, mas com preparo pendente. Resumindo, não é pra fazer sanduíche ou comer de aperitivo.

Será que sou só eu que nunca tinha ouvido falar desse negócio? 

Bom, um belo dia, me bate uma vontade de comer um salaminho, abro a geladeira e me deparo com a bela embalagem metálica do meu cotechino. Resolvo que é hora de abri-lo e matar a curiosidade. Qual não foi a minha surpresa quando, ao cortar a embalagem, me deparo com uma linguiça gorda, envolvida metade em banha mole, metade em uma gelatina translúcida cor de gasolina? Aquilo definitivamente não era um salame normal.

Depois de algumas pesquisas no grande pai (google) descubro que esse negócio tem que ser assado (ou cozido); que é uma parada que se come em datas festivas (tipo Ano Novo) e acompanhado de lentilhas. Bom, eis aí uma coisa nova para se aprender.

A principal diferença entre essa receita e o que a gente faz normalmente no Gororoba com Cardamomo é que normalmente nós tentamos descobrir como se faz coisas que nós já comemos ou experimentamos variações sobre pratos conhecidos. Nesse caso, foi tentar aprender sobre uma coisa completamente desconhecida, que não tínhamos ideia nem do gosto. Demos sorte. É uma delícia!

O preparo foi relativamente simples. Cortei uma cebola em julianas, espalhei em uma travessa cerâmica e coloquei o cotechino com a banha virada para cima. A ideia era fazer escorrer aos poucos. A tal gelatina na verdade é um molho que derrete com o calor (já viu que isso acontece às vezes quando você guarda molho de carne na geladeira?). Isso ficou no forno por uns 30 minutos. Nós viramos uma vez, por volta dos 20.

Para acompanhar, como não tínhamos tanta lentilha assim, fizemos uma mistura de lentilhas, grão-de-bico e arroz, com um pouco de tempero para kibe para dar um gostinho mediterrâneo. Tem que cozinhar tudo separado porque os tempos de cozimento são diferentes (uns 10 minutos a lentilha; uns 20 o grão-de-bico, na pressão).

CarnesReceitas

GuGomes • 30/06/2012


Previous Post

Next Post

Comments

  1. katia 09/07/2012 - 03:55 Reply

    Bom dia… moro na Italia e sim, “il cotechino si mangia con le lenticchie”, ou seja, o cotechino se come junto com as lentilhas, e é uma delicia… é uma comida invernal, muito quente… voce pega a embalagem onde està envolvido o cotechino e coloca ela inteira (sem abrir) em uma panela com agua fervendo por mais ou menos 20 minutos, depois abre a embalagem, tira o cotechino e o corta em rodelas, ” ed ecco!”, o cotechino està pronto para comer com as lentilhas que sao cozidas à parte. Eu também preparo um bom angu (polenta) e fica ainda melhor. Se come em qualquer periodo invernal (que aqui no norte dura praticamente 9 meses por ano, se comparado as belas temperaturas que temos ai no nosso Brasil), mas é um prato tradicional do almoço de Natal. Espero ter ajudado. Abraços (Katia)

    • gugomes 09/07/2012 - 18:55 Reply

      Ajudou demais! Eu – óbvio – não li a embalagem. Procurei logo por sugestões na internet. Como eu ia imaginar que tinha que cozinhar com embalagem e tudo. Agora está explicado o porquê daquela embalagem metálica bonita. Ficou muito gostoso do jeito que nós fizemos, mas agora eu fiquei curioso de tentar fazer do jeito certo. E com lentilhas e polenta! Um abraço!

  2. Emerson 30/07/2013 - 19:30 Reply

    pois é amigo, não foi só vc que saiu enganado do Verdemar!!! rsrsrsrs

    • gugomes 30/07/2013 - 20:38 Reply

      Pô, mas deu certo! Até comprei outro. Tá na geladeira. Dessa vez vou fazer conforme manda a regra. Vamos ver como sai!

  3. Cotechino com Lentilhas « Gororoba com Cardamomo

Deixe uma resposta