Fusilli com Linguiça em Calda de Romãs e Espinafre

Isso ficou muito bom. Tinha tudo pra dar errado, mas não deu. Comprei despretenciosamente um pacote de uma linguicinha aperitivo só porque achei bonita. Era rosa. A Priscila ficou com medo; disse “Não gosto de comida rosa”. Vai entender.

Chegando em casa me deu vontade de fazer macarrão, mas não queria nada do que tinha, então resolvi por a criatividade para funcionar. Olhei para minhas linguicinhas rosas e pensei “São vocês mesmas”.

O que eu usei:

– 1 1/2 colher de sopa de Azeite de Oliva.
– 300 g de Linguiça aperitivo apimentada – ela tinha um quê de calabreza, mas não era lá uma calabreza genuína; ainda assim era muito bem feita e de boa qualidade.
– 1 1/2 colher de sopa de Açúcar (usei cristal, refinado pode ser menos, tipo uma colher).
– 1 1/2 colher de sopa de Xarope de Romã (desses tipo sírio).
– 1 colher de chá de Canela.
– 1 pitada generosa de Noz Moscada.
– 1 colher de sopa rasa de Salsa (usei aquela desidratada; acho que funciona melhor nesse caso).
– Fusilli integral suficiente para 2 pessoas.
– Espinafre Fresco a gosto (o suficiente para forrar o prato).

A coisa toda levou uns 15 minutos. Portanto, é muito fácil. Tem apenas um segredo (e talvez uma adaptação).

Piquei as linguiças com uma tesoura de cozinha. Funciona bem melhor que a faca (lembrar que era linguiças aperitivo, da bitola de um dedo). Em uma panela funda e não muito larga, suficiente para que as liguiças fiquem todas no fundo, bem próximas, e diminuir a bagunça no fogão, aqueci o azeite em fogo baixo, até começar a cheirar um pouco, mas sem queimá-lo. Coloquei as linguiças e tampei imediatamente.

Esse é o segredo. A linguiça solta muita água e nós queremos essa água. Deixei a panela tampada por uns 2 ou 3 minutos. Ao abrir, a linguiça estava mergulhada na mistura de água (que saiu dela) e azeite. Aqui é o ponto em que pode haver a adaptação: se a sua linguiça não soltar tanta água como a minha, veja se não é preciso por um pouco mais. A ideia é deixá-la cozinhando por mais uns 5 minutos.

Como a minha estava mergulhada, amentei um pouco o fogo e deixei que ela cozinhasse até perder quase metade da água. Abaixei novamente o fogo e coloquei o açúcar. O aspecto muda imediatamente e começa a se formar a calda. Coloquei em seguida o xarope de romã, a canela e a noz moscada, sempre mexendo bem.

(Antes do açúcar já é uma boa hora para começar a cozinhar o macarrão, se você estiver com pressa.)

Continuei mexendo em fogo baixo até reduzir um pouco mais (metade ou pouco menos da metade da água). Apaguei o fogo e só então coloquei a Salsa. Depois de cozido o macarrão, é importante misturá-lo na própria panela da calda, para não perder nem um pouco.

Na hora de servir, a Priscila teve uma ideia ótima, que foi a de colocar espinafre forrando o prato. Servimos o macarrão sobre o espinafre. Ficou excelente.

Por incrível que pareça, aceitou até um pouco de parmesão (sem exagero).

E não precisa de sal. A linguiça já tem o suficiente. Nem preciso dizer que ficou uma delícia! Tive que vir postar imediatamente. Se alguém nos acompanha com alguma regularidade, deve saber que eu demoro um pouco para postar as coisas… sempre levo bronca da Priscila.

MassasReceitas

GuGomes • 15/04/2010


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta